Mente sobre a matéria: Você pode imaginar uma maneira para o ganho de força?

Qualquer um que tenha usado uma tala gessada sabe que a recuperação da força muscular uma vez que o gesso é removido pode ser difícil. Agora, pesquisadores do Instituto Musculoesquelético e Neurológico de Ohio, da Universidade de Ohio, EUA, descobriram que a mente é fundamental na manutenção da força muscular após um período prolongado de imobilização e que a imagem mental pode ser a chave para reduzir a perda de massa muscular associada.

A força é controlada por vários fatores, No entanto, o sistema nervoso é também um importante, embora não totalmente compreendido, determinante da força e fraqueza. Os pesquisadores decidiram testar como o córtex cerebral atua no desenvolvimento da força. Eles projetaram um experimento para medir as mudanças na força dos músculos flexores do punho em três grupos de adultos saudáveis. Vinte e nove indivíduos utilizaram uma tala gessada rígida que se estendia desde logo abaixo do cotovelo passado os dedos, efetivamente para imobilizar a mão e o punho, durante quatro semanas. Quinze indivíduos que não usavam gesso serviram como grupo controle.

Do grupo imobilizado, metade (14) dos sujeitos foram convidados a executar regularmente um exercício de imagens mentais, imaginando que estavam contraindo intensamente seus punhos por cinco segundos e, em seguida, descansar por cinco segundos. Eles foram verbalmente guiados através do exercício de imagens mentais com as seguintes instruções: “Comece imaginando que você está empurrando de um modo tão forte quanto você consiga com o seu punho esquerdo, empurre, empurre, empurre … e pare ( Cinco segundos de repouso) Comece imaginando novamente que você está empurrando  tão forte quanto você pode, continue empurrando, continue empurrando … e pare. (Cinco segundos de repouso)”. Isso foi repetido quatro vezes seguidas por uma pausa de um minuto para um total de 13 rodadas por sessão e cinco sessões por semana. O segundo grupo não realizou exercícios de imagens.

Ao final da experiência de quatro semanas, os dois grupos que usavam a tala gessada tinham perdido a força no membro imobilizado, quando comparado com o grupo de controle. Mas o grupo que realizou exercícios de imagens mentais perdeu 50% menos força do que o grupo não imaginativo (24 % versus 45 %, respectivamente). A capacidade do sistema nervoso para ativar completamente o músculo (chamado ativação voluntária) também se recuperaram mais rapidamente no grupo de imagens em comparação com o grupo de não-imagem.

“Estes resultados sugerem mecanismos neurológicos, mais prováveis a nível cortical, contribuir significativamente para a fraqueza induzida por desuso induzida, e que a ativação regular das regiões corticais via imaginação atenua a fraqueza e a ativação voluntária, mantendo os níveis normais de inibição”, escreveu a equipe de pesquisa. “Assim, estes resultados de que as imagens atenuaram a perda de força muscular provém uma prova de conceito para uma intervenção terapêutica para a fraqueza muscular e ativação neural voluntária.”

Fonte: Clark et al. The power of the mind: the cortex as a critical determinant of muscle strength/weakness.J Neurophysiol 2014; 112:3219

Recomendados