Má alimentação durante a gravidez, pode estar associada a desordem de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

Uma pesquisa recente conduzida por pesquisadores do King’s College London e da Universidade de Bristol descobriram que uma dieta com alto teor de gordura e alto teor de açúcar durante a gravidez pode estar ligada a sintomas de TDAH. Este é o primeiro estudo a indicar que mudanças evidentes na epigenéticas no nascimento, podem explicar a ligação entre uma dieta pouco saudável, problemas de comportamento e TDAH. Neste estudo de coorte com crianças da década de 90, foram comparadas 83 crianças com problemas de comportamento (como mentir, brigar, etc.) com 81 crianças que apresentavam baixos níveis de problemas de comportamento. Os pesquisadores avaliaram como a nutrição das mães afetou as mudanças epigenéticas do IGF2 (um gene envolvido no desenvolvimento fetal e cerebral em áreas implicadas no TDAH. Os pesquisadores descobriram que uma nutrição prenatal pobre que incluía uma dieta rica em gordura, açúcar, estava associada com uma alta metilação de IGF2 nas crianças com início precoce de problemas comportamentais. Também este aumento da metilação estava associado com sintomas de TDAH entre as idades de 7 a 13 anos, mas apenas em crianças que apresentaram um início precoce de mau comportamento.

Assim, destaca-se a importância de uma nutrição mais saudável durante a gravidez. Uma vez que uma dieta saudável pode, em última instância, diminuir os sintomas de TDAH e problemas comportamentais, dado que os fatores de risco nutricionais e epogenéticos podem ser alterados com o tipo de alimentação.

Fonte: Rijlaarsdam et al. Prenatal unhealthy diet, insulin-like growth factor 2 gene (IGF2) methylation, and attention deficit hyperactivity disorder symptoms in youth with early-onset conduct problemsJournal of Child Psychology and Psychiatry, 2016

Recomendados